Notas Públicas

     
    CNBB
     

    O bispo de Eunápolis (BA) e referencial da Pastoral dos Nômades no Brasil, dom José Edson Santa Oliveira, publicou um mensagem por ocasião do, celebrado neste 24 de maio. A data foi instituída em 25 de maio de 2006 por meio de decreto presidencial em reconhecimento à contribuição da etnia cigana na formação da história e da identidade cultural brasileira.

    Foi comemorado pela primeira vez em 24 de maio de 2007, com uma programação especial da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir). No calendário cigano, o dia 24 de maio é dedicado a Santa Sara Kali, padroeira dos povos ciganos.

    O bispo de Eunápolis (BA) e referencial da Pastoral dos Nômades no Brasil, dom José Edson Santa Oliveira.

    O referencial da Pastoral dos Nômades do Brasil chama a atenção para a necessidade de refletir e corrigir os preconceitos, rejeição, exclusão e violência simbólica com o qual os povos ciganos são tratados.  O povo cigano inclui os Roms, Sintos e Calons, grupos formados da diáspora de um povo nômade originário do norte da Índia, que passou por várias regiões do Oriente Médio e Europa, e depois espalhou-se por outros continentes.

    O estigma por ser diferente

    Os povos ciganos, de acordo com o bispo, fazem parte das minorias que não conseguem dialogar com a maioria dos povos pelo simples fato de serem diferentes. O bispo de Eunápolis aponta que os povos ciganos são “rejeitados diante de uma atitude de estranhamento, por sua singular forma de ser e viver”. Não obstante a importância da data, ainda são escassas as políticas públicas de integração do povo cigano, persistindo grande parcela sem contar com ações em favor de registro civil, saúde e educação.

    “Hoje, 24 de maio, comemoramos com alegria, o Dia Nacional do Povo Cigano. Trata-se de uma conquista que serve para rememorar as lutas, os desafios realizados pelo povo cigano ao longo dessa caminhada. O povo cigano é protagonista, apresentando ao mundo as suas tradições, a aquisição de direitos sociais e políticos, de sua cidadania e da conquista de sua presença no espaço democrático”, disse.

    Na mensagem, o bispo fala do trabalho da Pastoral dos Nômades no meio do povo cigano, destacando seus avanços e presença em campos como espaço acadêmico e ação na esfera pública. “Nesses mais de 30 anos e 5 de caminhada, a Pastoral dos Nômades tendo como objetivo ser presença da Igreja no meio do povo cigano, se alegra e parabeniza o povo cigano, os agentes de pastoral e todos os colaboradores que fazem parte dessa caminhada de lutas e conquistas”, disse.

    Conheça a íntegra da mensagem aqui.

     

    fonte: https://www.cnbb.org.br/bispo-referencial-da-pastoral-dos-nomades-fala-da-necessidade-de-diminuir-os-preconceitos-em-relacao-ao-povo-cigano/