A VERDADEIRA PAZ, desafio do Estado democrático

[featured_image]
Download
Download is available until [expire_date]
  • Version
  • Download 126
  • Tamanho do Arquivo 127.3 KB
  • File Count 1
  • Data de Criação 6 de março de 2020
  • Ultima Atualização 6 de março de 2020

A VERDADEIRA PAZ, desafio do Estado democrático

O objetivo do autor é introduzir a discussão do tema paz no contexto do Estado democrático capitalista, enfatizando a proposta da teoria da interdependência como modelo de ação política e, principalmente, destacando a importância de uma educação multidisciplinar para a paz baseada na idéia do rompimento dos limites atuais da cidadania. Conceitos introdutórios ao tema ¾ como as funções do Estado inserido na prática do modelo da interdependência e os limites legal-político, social, econômico e organizacional da cidadania ¾ são colocados como sugestão, como proposta para o desenvolvimento acadêmico do tema paz nas ciências políticas ou áreas afins.

 

 

O CONCEITO DE PAZ

 

O estudo da paz é, notoriamente, multidisciplinar e complexo. A coexistência de tendências díspares do pensamento nas Ciências Políticas dificulta ainda mais a compreensão e o trabalho de análise sobre o significado real de paz. Desse modo, a idéia principal é tentar listar alguns conceitos relevantes nas Ciências Políticas, oferecendo uma base teórica para quem se predispor a estudar o tema paz.

A palavra paz, usualmente, significa a ausência da guerra. Os termos guerra e paz seriam, nesse caso, opostos, antônimos. São, portanto, situações extremas. E estão, de fato, situadas em pólos opostos. Mas entre uma e outra existem situações e estágios intermediários.

Johan Galtung (1995) tenta definir melhor a palavra paz ao apontar os conceitos de uma paz negativa e de uma paz positiva. A paz negativa, segundo esse ilustre professor, é a mera ausência da guerra, o que não elimina a predisposição para ela ou a violência estrutural da sociedade. A paz positiva, por outro lado, implica ajuda mútua, educação e interdependência dos povos. A paz positiva vem a ser não somente uma forma de prevenção contra a guerra, mas a construção de uma sociedade melhor, na qual mais pessoas comungam do espaço social.

Concordando com Galtung, evolui-se da polarização guerra e paz para, no mínimo, três estágios distintos: a guerra, a paz negativa e a paz positiva. Uma maior reflexão ainda se faz necessária sobre as situações que envolvem guerra e paz. No entanto, em um primeiro momento, pode-se identificar: a guerra declarada e em curso, a chamada guerra fria, a preparação para a guerra ou para a eventualidade da guerra, a guerrilha, o terrorismo, a violência estrutural, a não-cooperação da paz negativa e, finalmente, a paz verdadeira ou, utilizando-se o termo de Galtung, a paz positiva.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.