Nas ruas no dia 2 de outubro contra a Fome, o Desemprego e a Carestia. Em defesa da Democracia, da Vida e Brasil!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é Logomarca_cbjp.jpg

NOTA PÚBLICA

Nas ruas no dia 2 de outubro contra a Fome, o Desemprego e a Carestia.

Em defesa da Democracia, da Vida e do Brasil!

Se eles se calarem, as pedras clamarão

(Lucas 19,40b)

FORA BOLSONARO” traduz uma palavra-de-ordem carregada de significados e de implicações. Afastar o atual mandatário da função presidencial torna-se, cada vez mais, uma medida necessária e urgente, para tirar o Brasil dos perigosos limites de um abismo, cujas proporções são incalculáveis.

O momento é decisivo para defesa da vida. Vive-se uma guerra sem tanques ou sem aviões soltando bombas, mas com poderosos sem escrúpulos diminuindo e retirando o oxigênio de pacientes internados com Covid-19, porque “óbito também é alta”; negligenciando medidas sanitárias recomendadas pela ciência numa pandemia e levando praticamente 600 mil pessoas à morte; com a entrega do patrimônio nacional a especuladores, que retiram direitos duramente conquistados pela classe trabalhadora, levando-a ao desemprego, à falta de moradia, de terra para plantar; com gananciosas mineradoras, que se apropriam da terra, das florestas, das nossas riquezas naturais para especular, matando a estas florestas, os rios, os povos originários;

E o fazem porque estão com todos os tentáculos dentro da presidência da República. Seu representante, alçado a este posto por meio de uma eleição desleal, baseada em fake-news, pensa, articula, age para que o país o país esmoreça nessa política de morte, especialmente os mais vulneráveis. É a face mais expressiva do neofascismo que se mostra, e com o fascismo não se dialoga. O neofascismo se enfrenta.

Enquanto o presidente envergonha a nação na ONU, com um discurso mentiroso e enganador, e promove a morte no país, a CPI do Genocídio mostra mais e mais aberrações promovidas por altos funcionários do governo em conluio com empresários da área de saúde que realizaram experiências com a vida humana semelhantes àquelas promovidas por nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

Para agravar a situação, a fome piorou com a pandemia e cresce por causa da carestia. A inflação atinge mais duramente as famílias pobres. São mais de 20 milhões de pessoas que foram empurradas à insegurança alimentar neste ano e os principais culpados são o governo, que promove aumentos repetidos de combustíveis, luz e água, e o agronegócio que se enriquece com a exportação de grãos pagos em dólar.

Em vez de apoiar a agricultura familiar, o setor que verdadeiramente produz alimentos para alimentar a população brasileira, o governo veta lei de ajuda aos agricultores e agricultoras familiares e retira-lhes financiamento. Com isso, esvazia o prato de comida de todo o povo.

A violência contra pobres, povos indígenas, quilombolas, ciganos, agricultores, negros, migrantes e refugiados, população em situação de rua, juventudes de periferia, mulheres e quem defende os direitos sociais só aumenta com execuções sumárias e o silêncio ou lentidão do Judiciário, com a união entre milícias e polícias, em muitos estados, revivendo os esquadrões da morte e a covardia contra vulnerabilizados(as).

O fracasso da tentativa de golpe no dia 7 de setembro, em manifestações a favor do presidente, em tom absurdo e ameaçador, não intimidou a resistência pela democracia e aumenta nossa responsabilidade. E a ninguém é dado o direito de permanecer indiferente, ao ver o Brasil em sério risco de extinção, como Estado-Nação.

No dia 2 de outubro, precisamos ir às ruas, com nossas famílias, amigos(as) e vizinhos(as), com nossas comunidades religiosas, igrejas e nosso amor cristão e, em voz alta e livre, de forma pacífica, clamar por justiça, direitos, democracia, liberdade, emprego, alimentação, vacina e vida!

Comida no prato, vacina no braço! Fora Bolsonaro! Viva a Democracia!

Brasília (DF), 1º de outubro de 2021.

Comissão Brasileira Justiça e Paz

CNLB – Conselho Nacional do Laicato do Brasil

Movimento Nacional de Direitos Humanos – MNDH Brasil

Movimento Nacional Fé e Política

MEP – Movimento Evangélico Progressista

Comissão Regional de Justiça e Paz de Mato Grosso do Sul – CRJPMS

CJP Diocesana de Castanhal-PA

Pastoral da Criança da Diocese de Tianguá-CE

Comissão de Justiça e Paz – Diocese dos Palmares-PE

CJP-DF Comissão Justiça e Paz de Brasília

Articulação das Pastorais Sociais, CEBs e Organismos da Diocese de Tianguá-CE

CLASP – Conselho de Leigos da Arquidiocese de São Paulo

Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC Minas

Fórum de Direitos Humanos e da Terra MT

CEFEP – Centro Nacional de Fé e Política Dom Helder Camara

CPDH – Comissão de Promoção da Dignidade Humana da Arquidiocese de Vitória ES

Movimento de Fé e Política do Grande ABC Paulista

Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz de Belo Horizonte

Centro de Direitos Humanos de Betim-MG

Centro de Educação Popular e Cidadania Zumbi dos Palmares

Pastoral Fé e Política de São Paulo

Pastoral Operária (Nordeste)

Caritas Arquidiocesana de Manaus-AM

Congregação Missionária da Sagrada Família

Comissão do Laicato do Regional Norte 1

Fórum de Gênero e Masculinidades do Grande ABC – SP

Comissão Justiça e Paz – CJP/Londrina-PR

Pastoral do Povo da Rua de Manaus-AM

Diálogos da Esperança

Articulação Comboniana de Direitos Humanos

Articulação Grito dos Excluídos/as MT

Empatia Clarifranciscana

Equipes Docentes do Brasil

Juventudes, Fé e Ciência

Comissão de Justiça e Paz de São Luís-MA

Articulação Maranhense de CEBs,

Fórum Maranhense de Mulheres

Escola de Fé e Cidadania do Setor Avenida Brasil

Pastoral Fé e Política da Diocese de Campo Limpo-SP

Ação Franciscana de Ecologia e Solidariedade

Comissão Justiça e Paz Arquidiocese de Olinda e Recife

Comissão Pastoral da Terra Regional Goiás

Paz e Esperança Brasil

GTP + Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo

Pastoral Operária Nacional

Comitê Brasil Livre Santa Catarina

EIG- Evangélicas pela Igualdade de Gênero

Pastoral da Mulher Marginalizada

JPIC Ordem Franciscana Secular

Centro Franciscano de Defesa de Direitos

Rede EDUCAFRO Minas

Marcha Franciscana

Serviço Franciscano de Justiça, Paz e Integridade da Criação

Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Socioambiental- FMCJS

Comissão Estadual Movimento Fé e Política do E.S.

Centro Dom Helder Camara de Estudos e Ação Social

Fórum Igreja e Sociedade em Ação.

Ágora dos Habitantes da Terra – Brasil

União de Mulheres de Vitória da Conquista

Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora, Manaus-AM

União Brasileira de Mulheres

Coalizão Evangélica contra Bolsonaro

JPIC – Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil

Comissão Nacional de Formação do CNLB

Pastoral do Meio Ambiente

IDSB – Instituto de Desenvolvimento Sustentável Baiano

JPIC Franciscanos – CFMB

Juventude Franciscana – JUFRA do Brasil

Escola Fé e Política Pe. Humberto Plummen – Regional Nordeste 2 (AL, PE, PB e RN)

Centro de Direitos Humanos Dom Pedro Casaldáliga, MT

Comissão Justiça e Paz SP

Comissão Justiça e Paz do Regional Sul 1 da CNBB